Alberto Guerreiro Ramos

Se o mais “up to date” estudioso da sociologia, morto há vinte anos, ressuscitasse, hoje, experimentaria ao tomar conhecimento da presente situação desta ciência, a sensação de uma pessoa estrangeira em terra estranha.

Ler versão Digital