O Administrador equatoriano Fernando Parra, que é professor e diretor do Doutorado em Administração da Universidade Andina Simón Bolívar, esteve na sede do CRA-RJ para uma entrevista sobre Gestão Pública e sustentabilidade. Durante a conversa, Parra falou sobre o modelo de gestão desenvolvido para as Olimpíadas Rio 2016, a eficiência dos gestores e a ação humana em desequilíbrio com o meio ambiente.

Com relação à realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro neste ano, o professor levou em consideração o atual quadro econômico do país, valorizando o trabalho dos órgãos responsáveis pela organização do evento. Para o prof. Adm. Fernando Parra, o saldo será positivo durante e após os jogos, quando a população sentirá os efeitos das melhorias realizadas na infraestrutura da cidade.

IMG_4917“Na perspectiva de gestão, de organização, está sendo um esforço tremendo de toda a cidade. Ao mesmo tempo em que estão realizando obras públicas também mudam o sistema de transporte no centro da cidade, ou seja, mudanças que ficarão como legado. São pontos importantes para o desenvolvimento da sociedade e da própria cidade”.

Como especialista em Gestão Pública, o Administrador apontou a falta de informação específica como um dos principais problemas na execução de bons projetos no setor.

“Grandes problemas da sociedade não são exclusivamente ligados à falta ou à má gestão de recursos. Às vezes as políticas são bem desenvolvidas, com o aparelho normativo estruturado. Porém, há problemas na gestão do conhecimento em Administração para o bom desenvolvimento do trabalho. No caso das políticas públicas, acaba ocorrendo uma ruptura, momento no qual os profissionais em Administração e Gestão são chamados para desenvolverem suas visões holísticas dos problemas organizacionais”.

Por fim, o Administrador fez um paralelo entre os modelos de Administração no Brasil e no Equador, valorizando as transformações na política equatoriana em prol de uma gestão mais sustentável.

Adm. Fernando López Parra“No Equador, se procurou mudar o modelo de desenvolvido para uma relação de maior respeito com relação a natureza, entendendo a mesma como um ser e não como um objeto. Acredito que poderia se discutir entre os países da América Latina um modelo de desenvolvimento vinculado ao respeito com a natureza. O fator mais importante do Administrador é tomar decisões e variáveis como o longo prazo, a natureza, a vida e o ser humano devem ser levadas em consideração”.

Durante a visita, o professor Adm. Fernando Parra também participou da sessão plenária do CRA-RJ, conversando com os presentes sobre uma possível parceria entre o Conselho e a Universidade Andina Simón Bolívar, do Equador.

A entrevista já está disponível na Rádio e na TV CRA-RJ.