Após ter se posicionado contrário ao reajuste de mais de 32% dos planos de saúde corporativos usados pelos registrados,    e de já ter consigo alguma redução neste montante em pedido junto à empresa,   presidente do CRA-RJ, enviou um ofício ao Conselho Federal de Administração solicitando um posicionamento oficial do órgão sobre o aumento abusivo.

shutterstock_113281159De acordo com o documento, entende-se que “somente com o fim da escalada dos custos dos planos de saúde é que muitos profissionais – principalmente os liberais – poderão continuar a oferecer segurança às suas famílias”. Outro ponto levantado no ofício é sobre a melhor definição da medição das variáveis que definem o valor do reajuste “em um plano coletivo sem regramentos legais e sem limites de majoração, sujeitos ao impacto daquilo que não observamos”.