O CRA-RJ reuniu diferentes profissionais que atuam na área de saúde no V Encontro de Administração em Saúde, na última quarta-feira (27). Os especialistas falaram sobre cidadania e abordaram temas pertinentes à saúde e como a Administração pode influenciá-la.

O Adm. Wagner Siqueira, presidente do CRA-RJ, foi um dos responsáveis pela abertura do evento e destacou que o Conselho do Rio está a serviço e pretende contribuir ainda mais com a área de saúde, para que está sinergia possa resultar em melhores resultados para as pessoas que os serviços se destinam.

IMG_5630“Ninguém exerce a cidadania sem exercer um papel político. Quando a gente se omite ou se envolve nos fatos políticos estamos exercendo a cidadania. O CRA-RJ não quer fazer isso pela omissão, mas sim pelo compromisso, envolvimento e engajamento”, afirmou o Administrador, que, além da abertura, participou do primeiro painel sobre “Saúde e Políticas Públicas: os desafios da Administração Pública no século XXI”, ao lado do prof. Murilo Fahel, da Fundação João Pinheiro-MG, da Adm. Andreia Regilayne Resende, secretária de Administração de Queimados, e do prof. Da Unirio, Adm. Antonio Andrade.

No painel “A segurança do paciente e o papel do Administrador nos processos de acreditação hospitalar”, o Adm. Nélisson do Espírito Santo, diretor-executivo da Casa de Saúde São José, apresentou os pontos críticos enfrentados no atendimento médico, que precisam de mudanças.

IMG_5935“Precisamos voltar as nossas origens, aprender a olhar no olho paciente e ouvir o que ele precisa. Com o prontuário eletrônico as coisas pioraram, porque o paciente entra e sai do consultório e o médico não sabe se ele é branco, negro ou qual cor de roupa estava usando, pois enquanto o paciente fala, o médico está escrevendo no computador. Se não brigarmos e lutarmos por essa cultura, vamos nos tornar robôs”, disse o Administrador, que teve como companheiros no painel o prof. Da UFF, dr. Luis dos Santos Diego, o Adm. Vinícius Queiroz, diretor do Hospital de Olhos de Niterói, e a Adm. Adarlette Neira, gestora de Qualidade do Hemorio.

A judicialização da saúde, que se refere à busca do Judiciário como a alternativa para obtenção do medicamento ou tratamento ora negado, também foi debatida no encontro com o tema “Judicialização da saúde: alternativa transitória ou uma tendência irreversível?”, que contou com a presença da dra. Elida Séguin, defensora pública do Rio de Janeiro, dr. Renato Battaglia, presidente da Comissão de Direito em Saúde da OAB/Barra, e dr. Armando Amaral, presidente da Feherj e da Academia Brasileira de Administração Hospitalar.

IMG_6140A última palestra foi da dra. Carla Moura Lima, neuroeducadora em relacionamento, que falou sobre as maneiras de promover saúde e implementá-la todos os dias dentro de uma organização.

Ao fim do evento, o Administrador hospitalar Jacaúna de Alcântara recebeu o Prêmio Benemérito da Administração 2016, além de uma placa de reconhecimento pelo seu trabalho da Academia Brasileira de Administração Hospitalar. Em seu discurso de agradecimento, o Administrador agradeceu as honrarias e a generosidade de todos. O Adm. Wagner Siqueira destacou que Jacaúna é uma referência na profissão, por sua dedicação ao estudo e prática da Administração.

Em breve, todo o evento estará disponível na Rádio e na TV CRA-RJ. Acompanhe nossas mídias e fique atento às novidades!