Comemorando 48 anos da regulamentação da profissão de Administrador,

Com o tema “A gestão das organizações e o futuro do trabalho”, o VII Encad teve três painéis, a dramatização da peça “O mercador de Veneza” e a palestra “Gestão das organizações através das artes”, ministrada pelo presidente do CRA-RJ, Adm. Wagner Siqueira.

Durante a abertura do VII Encad, o presidente do CRA-RJ falou sobre a importância do Administrador na sociedade e destacou os principais compromissos que esses profissionais lidam, no mercado de trabalho.

“São dois os grandes desafios: o varejo dos Direitos Humanos e o desafio do desenvolvimento”.

No primeiro ponto, o Adm. Wagner Siqueira explicou que o profissional deve estar comprometido como cidadão, com os valores sociais.

“Assim, será possível que ele perpetue, na organização em que atua, a ideia de ética empresarial, empresa-cidadã, responsabilidade social, entre outras”, avaliou.

Para falar do desafio do desenvolvimento, o presidente do CRA-RJ analisou a situação econômica do Brasil.

“O país é mal desenvolvido porque é mal gerido. A gestão é de suma importância”, narrou. Em sua conclusão, o Adm. Wagner Siqueira argumentou que, seguindo os dois compromissos, será possível construir uma sociedade mais justa e igualitária.

O secretário municipal de Governo da Prefeitura do Rio, Rodrigo Bethlem também participou da cerimônia de abertura. Durante o discurso, Bethlem falou sobre a profissionalização do serviço público.

“Sem esse processo não avançamos na gestão. Estamos buscando métodos de gestão que asseguram projetos e planos coerentes, que diminuam os gastos, sem deixar de lado a eficiência das atividades”, destacou.

Representando o Conselho Federal de Administração, o Adm. Rui Otávio parabenizou a todos os Administradores, destacou a importância de discutir as políticas de trabalho, em nosso país.

“Os Administradores devem estar a par de todas as medidas possíveis para construir um mercado mais justo e que contribua para a promoção do trabalho decente”, explanou.

O presidente do Grupisa, Carlos Monnerat, também participou da cerimônia de abertura.

Painéis

“Emprego e trabalho decente: a modernização das relações de trabalho” era o tema do primeiro painel do VII Encad e contou com a participação do coordenador do Projeto MAP do Trabalho Decente da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, José Ribeiro Soares Guimarães; e do conselheiro do CRA-RJ e presidente do Instituto de Administração do Rio de Janeiro (Iarj), Adm. Wallace de Souza Vieira.

Ribeiro iniciou sua apresentação definindo trabalho decente, segundo a OIT, como promover oportunidades para que homens e mulheres possam conseguir um trabalho produtivo e de qualidade.

Ainda de acordo com o representante da OIT, a prática de trabalho decente “potencializa, melhora, emprega, facilita a proteção social, desenvolve o diálogo social e o direito no trabalho. Ele contribui para eliminar a pobreza e a desigualdade”.

O presidente do Iarj, Adm. Wallace Vieira, avaliou como “muito importante” a atuação do CRA-RJ para apresentar e discutir as práticas relacionadas ao mercado de trabalho.

“Desde a década de 90 o Conselho apresenta um alinhamento com o mercado de trabalho”, disse.

Além disso, Vieira destacou a educação como elemento fundamental na carreira profissional.

“Para que o colaborador conquiste a ascensão profissional e pessoal é preciso investir em qualificação. Muitas empresas possuem programas de treinamento que contribuem para o enriquecimento do colaborador. Mas, é preciso ter em mente a importância da qualificação”, ressaltou.

Já o painel II, discutia “Empregabilidade e as novas formas de trabalho no século XXI” e reuniu o Adm. Reinaldo Faissal, mestre em Gestão Empresarial pela FGV-RJ; Adm. Marcelino Tadeu de Assis, professor, consultor e autor de quatro livros na área de Gestão de Pessoas; José Ribamar do Amaral Cypriano, professor de cursos de MBA em Gestão de Cooperativas da FGV; e Magda Hruza de Souza Alqueres Ferreira, diretora da ABRH/RJ e especialista em mediação, relações sindicais e negociação. O mediador foi o conselheiro do CRA-RJ, Adm. Carlos Roberto Fernandes de Araujo.

O Adm. Reinaldo Faissal abordou questões como empregabilidade, salário, fatores de influência, formação e conhecimento.

“O profissional deve ter em mente que conhecer seus pontos fortes e fracos será um grande diferencial”, apresentou.

Faissal falou ainda sobre a questão da ética nos ambientes corporativos.

“Ao usar as redes sociais, o colaborador deve saber que a sua imagem profissional pode ser afetada por aquilo que é divulgado. Portanto, é necessário ter atenção e postura ética na Internet”, avaliou.

Levantando o assunto do cooperativismo, José Ribamar Cypriano apontou as principais diferenças na atuação em cooperativas e empresas:

“O capital social é dividido em partes, existe a singularidade de votos e um limite para compra de cotas”, afirmou.

Cypriano argumentou ainda que os Administradores deveriam conhecer mais a fundo o cooperativismo.

“Acredito que o cooperativismo poderia ser uma disciplina dentro da graduação de Administração”, discursou.

O Adm. Marcelino Tadeu de Assis apresentou imagens feitas em todo o país que revelam a situação do trabalho infantil e afirmou que o Tribunal Superior do Trabalho quer erradicar a prática até 2015.

Ainda em seu discurso, Assis falou que cabe ao gestor eliminar métodos antiéticos e construir um mercado mais sustentável.

“Está nas mãos dos Administradores a construção de futuro melhor e mais justo”, concluiu.

Fechando o painel, Magda Hruza abordou a questão das novas formas de trabalho e levantou a questão da flexibilização e negociação dos contratos trabalhistas.

“O trabalho é um direito e não uma obrigação. O Governo deve oferecer oportunidades de trabalho, mesmo que elas não estejam ligadas à CLT”, explicou.

O painel III, “Organizações e inteligência competitiva: a ampliação de oportunidades no cenário global”, foi mediado pelo conselheiro do CRA-RJ, Adm. Antonio Andrade. Participaram como painelistas Alfredo Passos, consultor e especialista em Inteligência Competitiva da Knowledge Management Company; Adm. William Barreto, gerente da área de Processos Organizacionais do Sistema Eletrobras; e José Geraldo Pereira Barbosa, coordenador e professor do Mestrado em Administração e desenvolvimento Empresarial da Universidade Estácio de Sá.

“Sair da zona de conforto e buscar novos desafios e novas ideias, em nossa área de atuação é fundamental para que o conceito de inovação seja posto em prática”, iniciou José Geraldo Barbosa.

O palestrante relacionou, em sua apresentação, a prospecção de inovações e inteligência competitiva.

“Com as informações certas, que podem ser buscadas com clientes e fornecedores, por exemplo, é possível desenvolver bens e serviços”, afirmou.

Já o Adm.  William Barreto falou sobre a relação da mudança e a inteligência competitiva.

“Os colaboradores apresentam alguma apreensão em relação aos novos procedimentos e à questão da mudança”, explica.

Porém, a “apreensão” não atinge aos colaboradores que estão em níveis hierárquicos mais baixos. Segundo dados exibidos por Barreto, “68% da liderança apresenta baixo comprometimento com as mudanças”. Por isso, de acordo com o painelista, a adaptação aos novos cenários e a atenção aos fatores externos reflete no papel do Administrador dentro das organizações.

O consultor Alfredo Passos destacou a ética como fator primordial na busca por informações das empresas concorrentes.

“Eu não posso praticar a espionagem ilegal e nem incentivar essa técnica. As organizações precisam conhecer o macroambiente para conseguir entender os novos comportamentos dos clientes. Com isso, muda-se os processos interno. Assim, a gestão de mudanças está diretamente relacionada ao processo de inteligência competitiva”, afirmou Alfredo Passos.

Premiações

Após a apresentação dos painéis, aconteceu a premiação da 1ª Mostra Científica de Administração do CRA-RJ. O Adm. Andre Fernando Uébe Mansur foi premiado  em 1° lugar com o artigo “Rede de Saberes Coletivos (Resa): Um ambiente complexo para aprendizagem colaborativa em estágios supervisionados em cursos de Administração”.

Em seguida, foi realizada a solenidade de entrega do Prêmio Honra ao Mérito em 2013, com finalidade de homenagear pessoas que tenham se destacado e contribuído para o desenvolvimento técnico-científico da ciência da administração, na defesa do profissional e da profissão de administrador ou realizado relevantes serviços e trabalhos no campo da administração.

A reitora da Universidade Salgado de Oliveira, a professora Marlene Salgado de Oliveira foi premiada na categoria Contribuição Honorífica.

“É importante dizer aos participantes que os homens passam e as obras ficam. Por isso, as obras precisam ser firmadas com respeito e ética”, declarou.

Na categoria contribuição profissional, a Adm. Yara Maria Guimarães Assis Rezina foi premiada por sua contribuição no campo da ciência da administração e na valorização profissional. Emocionada, a administradora explicou que a atuação das empresas deve estar baseada em dois pilares: ética e humanização.

“As organizações não são feitas apenas de máquinas. É muito importante respeitar os colaboradores”, defendeu.

Já na categoria contribuição benemérita, o comendador Julio Cesar da Costa foi homenageado por sua atuação como diretor de programas e projetos da Associação Beneficente dos Professores Públicos (Appai).

Para encerrar o VII Encad, os atores do Instituto Chiquinha Gonzaga encenaram a peça “O mercador de Veneza”, de William Shakespeare e a palestra “A gestão das organizações através das artes”, ministrada pelo presidente do CRA-RJ, Adm. Wagner Siqueira.

No site da TV CRA-RJ e da Web Rádio CRA-RJ será disponibilizado o evento na íntegra.

 

galeria